Quem acha que sorvete e picolé de fruta são alimentos de verão, está enganado! No mundo todo, consome-se muito sorvete, de massa ou no palito, mesmo na estação mais fria do ano. E tanto o picolé de fruta quanto o sorvete de massa surgiram… no inverno!

Já contamos aqui como foi que nasceu o sorvete de massa: na neve da China, diz a tradição. E o picolé de fruta? Este surgiu…

No frio dos Estados Unidos

Foi um menino de 11 anos, o americano Frank Epperson (1894-1983), que inventou o picolé. E foi por acidente.

Em uma noite muito, muito fria da cidade de São Francisco, na Califórnia, Frank mexia suco em uma xícara (outra versão diz que era refrigerante em pó com água). Ele usava em sua brincadeira um pauzinho de madeira (alguns dizem que era um talher de cozinha).

Quando cansou de brincar, ele esqueceu a mistura na varanda de casa. Ela ficou lá a noite toda, no frio intenso. E quando Epperson acordou, na manhã seguinte, o suco tinha virado o primeiro picolé do mundo. Graças ao frio que congelou a mistura!

Do suco congelado ao popsicle

A invenção do picolé de fruta aconteceu no inverno de 1905. Dezoito anos depois, Epperson fez uma festa e serviu para os amigos o seu picolé – que batizou de “Eppsicle”. É a mistura do nome Epperson com a palavra icicle, que em inglês significa “pingente de gelo”.

Foi só então que o inventor decidiu transformar sua invenção em negócio. E mudou o nome do picolé de fruta de Eppsicle para Popsicle. Isso porque os filhos batizaram a guloseima de Pop’s´sicle  – algo como “gelinho do papai”.

O Popsicle foi patenteado em 1924. Anos depois, Epperson  vendeu a patente para uma companhia que tem mercado e influência ainda hoje nos Estados Unidos e no Canadá. E popsicle virou substantivo para picolé nos países de língua inglesa.

Popsicle lá, picolé de fruta aqui

De acordo com o colunista Sérgio Rodrigues, colunista da revista Veja On-line, a origem do termo picolé é duvidosa. Para ele, alguns etimologistas “ligam ao italiano piccolo, ‘pequeno’, surgido já no século XX para designar o sorvete espetado num pauzinho”.

O fato é que aqui no Brasil, o picolé ganhou uma variedade  de sabores tão imensa quanto a nossa natureza. E com técnicas aperfeiçoadas de manufatura, logo foi aprimorado com leite em versões cremosas.

Só na Sorvetes Bapka, são 19 sabores. Tem picolé de fruta de uva, limão, morango, abacaxi, maracujá e tutti frutti. Além dos cremosos de milho verde, coco, nata, leite condensado, chocolate e iogurte de morango. Na linha Ituzinho, leite condensado, coco, chocolate e morango. E nos especiais com cobertura de chocolate, Esquicoco (esquimó de coco), Esquimorango (sorvete de morango com cobertura de chocolate branco) e Brigadeiro (coberto com chocolate granulado). Só temos uma coisa a dizer: Epperson, você foi um menino genial!